terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Noites Brancas, Dostoiewski


Hoje, recebi um presente pelo correio. Um frasco de doce numa embalagem amorosa. Doce de figo, mel e limão que se vai juntar, ao lanche, ao chá de limonete oferecido, recentemente, por outra amiga. É bom ter amigos. E, principalmente, amigos que nos alimentam. De mimos :)



"Caminhava a cantar. Quando me sinto contente, canto sempre em surdina. É este, creio, um hábito daqueles que, sem amigos ou camaradas, não sabem com quem compartilhar um momento de alegria."

"O senhor é inimigo de si próprio."

"Pobre daquela gente, pensa o sonhador, que vive a vida real!"

"Um instante de completa felicidade não basta já para uma vida inteira?"

Sem comentários: