sexta-feira, 1 de julho de 2011

Lisboa revisitada


Largo de S. Carlos.
Regressar ao Chiado é sempre uma festa.
Quando chego a Londres, sinto que estou no centro do mundo.
Quando chego ao Chiado, sinto que estou no centro do tempo.
Como se não houvesse ontem, hoje e amanhã.
Como se o tempo se diluísse numa amálgama de presentes, futuros e pretéritos mais que perfeitos!
Regressar ao Chiado é como ler um bom livro.
As personagens ganham vida.
Os lugares inundam-se de adjectivos.
Os sentidos apuram-se.
E cresce a saudade das vidas que não vivemos.



Sem comentários: