domingo, 22 de maio de 2011

Quotidiano Campestre


É bom regressar à terra pois é sempre um regresso à minha infância feliz, aos cheiros do campo, aos animais de companhia, às árvores de fruto, às flores coloridas, às tardes à conversa debaixo de uma figueira. Cada vez mais valorizo esta paz que o campo me traz e descubro que seria capaz de abdicar de quase todas as superficialidades do meu dia-a-dia.
Um dia dou um chuto na minha vida citadina e enfio-me num monte alentejano.
Hoje, infelizmente, ainda não é o dia.

Sem comentários: