quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Paixões

Dizem que são desmesuradas.
Loucas. Insensatas. Fugazes.
Que nos cegam.
E desnorteiam.
Que nos atiram para um mar revolto de sensibilidade.
Onde cada onda é um verso.
E cada gota um suspiro!
Dizem que são avassaladoras.
Assolapadas.
Inebriantes.
Que nos marcam para sempre.
Como um ferro em brasa no peito.
Ou uma tatuagem desenhada na alma.
Dizem que nos dão asas.
Coragem.
Motivação.
Que nos fazem sair de nós próprios.
E trancar, logo a seguir, a nossa caixa de Pandora.
Dizem que nunca mais seremos os mesmos.
Que o vírus fica cá dentro.
E que teremos recaídas.
Faltas de ar.
Arritmias.
Febres.
Delírios.
E que nenhum medicamento nos curará.
Nem nenhuma anestesia nos poupará.

Sem comentários: