quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Obesidade

Jamie Oliver e a urgência no combate à obesidade na América.
Para lá caminhamos...
Seria muito bom não chegarmos lá.
Aprendermos com o erro alheio.
Iniciarmos uma caminhada de regresso ao passado.
Aos produtos hortículas da "terra".
Aos temperos das Avós.
Aos cozinhados saudáveis.
Às famílias em redor de uma mesa.

Cá em casa, abolimos o sal e o açúcar refinado.
O óleo e a manteiga.
O café foi substituído por chá.
Os refogados por cozidos.
A carne pelo peixe.
As batatas fritas por arroz, massas ou cuscuz.
E deixámo-nos reconquistar por saladas, legumes cozidos e frutas frescas.

Mas a dieta saudável começa no supermercado.
No acto da compra.
Evito passar nos corredores dos refrigerantes, dos rebuçados, das pizzas.
E viro a cara ao leite condensado, aos queijos amanteigados e aos enchidos.
Compro aquilo que sei que me faz bem (ou menos mal...).

Da mesma forma, quando vou jantar fora, começo SEMPRE por uma sopa.
Peço SEMPRE para o acompanhamento ser antes arroz.
Dou SEMPRE indicações para não colocarem sal no peixe antes de o grelharem.
Pergunto SEMPRE se já houve queixas de excesso de sal em relação ao prato que vou escolher.
E quando me questionam sobre a sobremesa, pergunto, também SEMPRE, "O que tem de fruta?".

Pequenos gestos... grandes ganhos.


2 comentários:

Ana Sofia Santos disse...

eu queria era o jamie aqui a falar comigo pessoalmente mas isto sou eu :D

Cris disse...

Bem... quem diria...

Eu acho que, se for tudo com conta, peso e medida não faz mal.

Beijinhos.